Uma das perguntas mais frequentes que recebo é: Qual a dose diária de vitamina D que eu devo tomar?

A resposta é sempre a mesma: não existe uma dosagem igual para todas as pessoas, a dose diária de vitamina D é individualizada pois depende das particularidades de cada pessoa como exposição solar, alimentação, estilo de vida, medicações de uso crônico, doenças, predisposição genética a algumas patologias, e como está a dosagem de 25-hidroxivitamina D desse indivíduo. Enfim, a dose ideal é individual por isso a prescrição deve ser realizada por um profissional de saúde que te acompanhe durante essa suplementação.

Pensando que fisiologicamente durante um período de exposição solar de 10 a 15 minutos onde estejam expostos braços e pernas, o nosso metabolismo consegue produzir em torno de 10.000 ui de vit. D em média. O melhor horário é entre 10h e 14h, quando o sol está mais forte, por isso lembre-se sempre de passar protetor solar no rosto!

A vitamina D tem capacidade de regular o nosso sistema imunológico potencializando as reações fisiológicas desse sistema ajudando a combater vírus, bactérias, fungos por exemplo.

Na verdade, a vitamina D é um hormônio e tem a capacidade de produzir linfócitos T reguladores que impedem que os anticorpos produzidos pelo próprio sistema imunológico agridam o nosso organismo como acontece nas doenças autoimunes. Além disso, ela favorece a absorção do cálcio no intestino melhorando a qualidade óssea.

Como você percebeu a vitamina D é extremamente importante para a nossa saúde, porém são poucos os alimentos que são ricos dessa vitamina. Os alimentos ricos em vitamina D são: sardinha, cavalinha, atum, salmão, mas para ter a quantidade necessária de vit. D precisaríamos ingerir uma quantidade muito grande desses peixes além de saber da origem desses alimentos.

Visto isso, a suplementação ainda é a melhor opção para os indivíduos que não tem uma exposição solar adequada ou moram em regiões mais frias.

Existem muitos estudos que demonstram que uma pessoa com níveis ótimos de vitamina D tem menos chance de desenvolver doenças cardiovasculares, câncer de cólon e mama, Alzheimer, doenças degenerativas, obesidade, diabetes, depressão e outras. Se você não sabe quanto está sua vitamina D, está na hora de consultar um médico 😉